Guia do Lar - O seu Guia de Serviços e Produtos para o Lar
ServiÇos
Foto do MÊs

O que a natureza tem de belo

Acessar

Linha Direta

Serviço de atendimento ao usuário Aqui você opina sobre a qualidade dos serviços dos profissionais cadastrados.

Acessar

A Fundação do Protestantismo
Guia do Lar - Dicas e Informações - Você Sabia? - em 27/08/17 por :de Figueiredo

 Em 1518 – Funda-se o “Protestantismo”.

Martinho Lutero nasceu em Eisleben a 10 de novembro de 1483, e falaeceu a 18 de fevereiro de 1546. É papa Leão X e imperador de Roma, Carlos Quinto. No dia 22 de maio de 1518, véspera de Pentecostes, enviou ao bispo de Brandeburgo a interpretação de suas 99 teses sobre as indulgências, com que funda o Protestantismo. Primeiramente foram afixadas na porta da igreja da pequena cidade de Pittenberg, na  Saxônia. “É que o papa Leão Décimo, a fim de angariar fundos a serem dispendidos, quer com as guerras contra os turcos ou com obras de arte para a suntuosa igreja de São Pedro, em Roma, enviou a toda parte frades dominicanos, que entravam nas cidades precedidos por homens extravagantemente vestidos, que anunciavam a chegada dos mesmos pelas estradas e ruas e afixavam nas paredes, sobre a aquisição de indulgências,  proclamações como estas: “ O perdão torna aquêles que o comprarem mais limpos do que o batismo, mais puros do que Adão no seu estado de inocência no Paraíso”. “Assim que o dinheiro tilintar no fundo do cofre, o pecador fica perdoado e livre de todos  os pecados”. Em seguida  a êsses charlatães, aparecia o vendedor do perdão e o seu ajudante, numa pesada carroça, que era conduzida para o meio da praça do mercado. Na Alemanha, o vendedor de perdão era o dominicano João Tetzel. Levava dum lado uma gaiola de ferro, de cujas grades pendiam os célebres papelinhos, e de outro um cofre onde o dinheiro era lançado. Oferecia ao público a sua mercadoria, à maneira dos vendedores de elixires, que costumavam  aparecer pelas feiras.

 As 99 teses de Lutero constituem um discurso encadeado contra a doutrina e prática das indulgências. E tornam evidente estas três coisas:

1ª) – É de algum modo digna de aprovação a indulgência, quando significa simplesmente um dos muitos meios de proclamar o perdão dos pecados, concedidos por Deus; mas uma tal proclamação deve ser sempre gratuita.

2ª) – Os sinais exteriores do arrependimento não equivalem à dor íntima que se sente por haver pecado, isto é, ao verdadeiro arrependimento, e a autorização para deixar de os pôr em prática não pode,  de maneira alguma, garantir que Deus tenha realmente perdoado.

3º) – Qualquer cristão que se sinta verdadeiramente arrependido recebe um pleno perdão, e é participante de todas as riquezas de Cristo, por  um dom direto de Deus, sem ser necessária uma carta de indulgência  ou outra intervenção humana.

Assim,  para Lutero, “a coisa essencial é o fato íntimo, espiritual, da dor produzida pelo  sentimento do pecado; a manifestação do pesar é uma coisa boa , mas Deus olha para o estado espiritual e não para a exteriorização desse estado”. Na sua interpretação, esclarece: “A palavra penitência, do grego, significa:”Revesti-vos dum novo espírito, de um novo sentimento, tende uma nova natureza, de sorte que, deixando de ser terrestre , chegueis a ser homens do céu….. Cristo é um doutor do espírito e não da letra; e suas palavras são espírito e vida.

 

Fonte:Enciclopédia de Grandes Invenções e Descobertas

 

 

 

Opções de compartilhamento

Imprimir artigo Imprimir artigo

Envie um artigo você também!

Clique no link abaixo para preencher o formulário e enviar o seu artigo para a seção Você Sabia? do Guia do Lar. Estaremos aguardando a sua colaboração!

Formulário de envio

Busca
Parceiros
FÃs do Facebook
Central do Anunciante
Seu E-mail:
Preenchimento obrigatório.
Sua Senha:
Preenchimento obrigatório.
AdministraÇÃo